quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Vencendo a gripe




Pois é, amigos, estou afastada há dias do trabalho. Agora, querem saber se estive doente? A resposta é sim! Dias 07, 08 e 09 estive na capital e no domingo ao retornar, com tempo feio (chuva e frio), já sentia os primeiros sintomas de uma forte gripe. Tosse, garganta arranhando, vias áreas congestionadas... Na terça, não deu outra. Corri prTamanho da fonteo médico, depois das súplicas da minha irmã Suzana.

Fui medicada e retornei para casa. Na mesma noite, o quadro piorou e me hospitalizaram, já com os sintomas agravados. Falta de ar, febre, tosses sem parar e uma sensação horrível que os pulmões estavam prestes a entrar em colapso. Eram 1:30 da madrugada e o meu médico Heron Teixeira já me aguardava para a baixa.

Fiquei isolada uma semana, lá no hospital, com doses cavalares de antibióticos, analgésicos e o potente antiviral Tamiflu. Cuidado total, com medição de pressão arterial, sondagem da temperatura, bombinhas e nebulizações. Nas primeiras duas noites, consegui dormir ligada ao aparelho de oxigênio, tal era meu desespero pela falta de ar (tinha infiltração nos pulmões).
No meu quarto entravam com um arsenal: máscaras e jalecos para evitar o contágio. Muitos nem se arriscavam a entrar. A comida era largada na porta, com a batida como aviso. Algumas enfermeiras, mais corajosas, achavam exagero tudo aquilo, mas ordens, são ordens. E todos cumpriram à risca. As visitas foram proibidas e tive a companhia de familiares e amigos muito íntimos (que também eram obrigados a se ‘mascarar’). Quando já estava melhor, até consegui rir da situação.



Resultado: perguntei ao médico, o que de fato eu tinha - é ou não é a gripe A? Ele respondeu: isso é o que menos importa. Tu teve todos os sintomas, é provável que seja. A gripe evoluiu para uma pneumonia e uma crise de sinusite. Mas o Tamiflu respondeu bem: a infecção zerou e agora tu está imune. Bastam mais alguns dias de repouso e tratamento em casa.


Resumindo: O Hospital de Caridade está preparado para atender. Meu plano Unimed foi indispensável. O médico Heron Teixeira é supercompetente e a guardiã, dra. Sônia Nicola, está atenta sempre. Tudo isso, com as doses de orações dos familiares e amigos, foi o que me curou. Graças a Deus!.


Lição: O medo das pessoas não é como a coragem. Gente, passou, agora estou bem! Obrigada a todos pelo apoio e compreensão.

Um comentário:

Lilian disse...

Roche envolve-se em fraude científica
A Roche afirma que há dez estudos que provam que o Tamiflu é seguro e eficaz. Segundo a empresa, o Tamiflu tem todos os tipos de benefícios, incluindo uma redução de 61% nas hospitalizações de pessoas que apanham a gripe e depois são tratadas com Tamiflu.

O problema com estas afirmações é que elas não são verdadeiras. Foram simplesmente inventadas pela Roche.

Um artigo pioneiro recentemente publicado no British Medical Journal acusa a Roche de enganar os governos e os médicos sobre os benefícios do Tamiflu. Entre os dez estudos citados pela Roche, sabe-se agora que apenas dois foram alguma vez publicados em revistas científicas. E onde estão os dados originais desses dois estudos? Perderam-se. (http://acordem.com/blog/15467//)